" /> "/>
Araçatuba,
Texto Menor
Texto Maior
Contraste
Portal da
Transparência
Acesso à
Informação
e-SIC
Verdade ou Boato
Confira se uma notícia é verdadeira ou falsa
Notícias
14/05/2009 11:39:31
Rivael Papinha quer expandir programa de Hortas Comunitárias (Veja Vídeo)

Criado com o propósito de reforçar a alimentação e o orçamento doméstico de famílias de baixa renda, o programa Hortas Comunitárias da Prefeitura de Araçatuba está presente nos bairros Clóvis Picolotto e Lago Azul. Em um terreno, localizado ao lado da Escola Municipal Mariana Guedes Tibagy, doze famílias da comunidade cultivam verduras, legumes e hortaliças para o próprio sustento e comercialização.

Na última quinta-feira (13/05), o vereador Rivael Papinha (PSB) visitou o "espaço verde" e destacou sua importância. "Além de levar alimento para a mesa, o morador consegue arrecadar um pouco de dinheiro para sustentar a própria família", afirma. Por isso, o parlamentar quer expandir o programa municipal para todos os bairros da cidade. "Nossa proposta é levar as hortas comunitárias principalmente para os bairros periféricos, onde a comunidade se dedica com todo carinho", explica.

A horta comunitária dos bairros Clóvis Picolotto e Lago Azul começou a ser cultivada em janeiro de 2006. Alface, almeirão, rúcula, couve, cebolinha, salsinha, cenoura e rabanete são alguns dos alimentos produzidos no local. A Prefeitura fornece a água e a assistência técnica necessária, e os moradores são os responsáveis pelo plantio, conservação e colheita da produção. A comunidade ainda recebe doações de esterco, adubos e sementes.

Nascido e criado no bairro rural da Prata, o morador Antonio Carlos Cândido contribui com a sua experiência na roça para o crescimento da horta comunitária. Ele é responsável pela manutenção de seis canteiros. "Eu capino, limpo, molho, semeio, faço de tudo um pouco", revela. Desempregado, o morador retira da terra o seu ganha pão. "Aqui, é o meu lugar. Venho todos os dias, mesmo aos domingos e feriados. Para mim está muito bom e acredito que para a população também, porque vendemos tudo fresquinho", comenta.

A faxineira Carmem Teodoro da Silva, moradora do Clóvis Picolotto, é uma das consumidoras da horta comunitária. "Venho sempre buscar verduras e legumes, nem compro no mercado. A qualidade é muito boa, porque a horta é muito bem cuidada", elogia a moradora.

Além de reduzir os gastos dos moradores com a compra de alimentos, a horta comunitária também proporciona lazer e interação entre os moradores. "Uma comunidade tem que ser unida, senão não vai para frente", enfatiza o mecânico José Galdino, que cuida de dois canteiros nas horas vagas. "Isso aqui é uma terapia, ajuda a esfriar a cabeça", completa.

Fonte: Assessoria de Comunicação: Suzy Faria / Foto: Angelo Cardoso
Compartilhe:
<< Página Anterior