Dunga vai levar lona utilizada no Etemp à Secretaria de Habitação do Estado" /> Dunga vai levar lona utilizada no Etemp à Secretaria de Habitação do Estado"/>
Araçatuba,
Texto Menor
Texto Maior
Contraste
Portal da
Transparência
Acesso à
Informação
e-SIC
Verdade ou Boato
Confira se uma notícia é verdadeira ou falsa
Notícias
13/05/2008
Dunga vai levar lona utilizada no Etemp à Secretaria de Habitação do Estado

O presidente da Câmara, Antônio Edwaldo Dunga Costa, disse que vai levar ainda essa semana à Secretaria de Estado da Habitação, um pedaço da lona preta que vem sendo utilizada pela Companhia de Desenvolvimento Habitacional Urbano - CDHU, por baixo dos telhados das casas construídas no Jardim Etemp, de Araçatuba, para conter vazamentos provocados por águas das chuvas. Ele disse que prefere não acreditar que o presidente da companhia, Lair Krahenbuhl, tenha conhecimento do que está sendo feito na cidade.

"Enquanto os proprietários das casas do Etemp sofrem com os reparos que estão sendo executados, a CDHU vai aos principais canais de tevê e gasta fortunas para divulgar suas novas ações. Isso é uma vergonha, um absurdo", desabafou o presidente na tribuna da 15ª sessão ordinária do ano. Dunga e o vereador Luciano Gomes apresentaram um requerimento pedindo informações à CDHU sobre um contrato que ela teria feito com a construtora Engescav para a execução das obras no bairro.

"Se a CDHU contratou essa construtora, então deveria acioná-la para fazer os reparos bem feitos, e não o que está sendo feito lá", disse Luciano Gomes. Atendendo pedidos de moradores, os vereadores vão pedir ao Ministério Público que entre com uma ação contra a CDHU.

Antes mesmo de completar quatro anos de inauguração, a maioria das 291 casas do bairro já apresenta problemas. "E o sonho da casa própria para esses moradores virou foi um pesadelo", diz Dunga. Infiltrações nas paredes e vazamento de água em dias de chuvas no forro de PVC são as queixas mais comuns dos moradores.

Logo que se chega ao bairro é possível ver uma placa do governo do Estado prestando contas à comunidade dos R$ 147 mil que estão sendo investidos na colocação das lonas, um trabalho que chama de impermeabilização.

A casa do comerciante Donizete Doná foi uma das primeiras em que a companhia aplicou a lona no forro. "Além de não resolver o problema dos vazamentos, o barulho provocado pelo plástico nos tetos está insuportável", se queixa.

Para o auxiliar de topografia Edson Marcos Nogueira, esse tipo de lona é utilizado na construção de barracos para sem-teto. "Pagamos e caro pela nossa casa própria e recebemos esse tratamento", indaga. Muitos moradores estão tentando, sem sucesso, vender suas casas para se mudar do Jardim Etemp.

Fonte: Assessoria de Comunicação - Paula Todesco
Compartilhe: