Araçatuba,
Texto Menor
Texto Maior
Contraste
Portal da
Transparência
Acesso à
Informação
e-SIC
Verdade ou Boato
Confira se uma notícia é verdadeira ou falsa
Notícias
13/03/2009
Contas do Daea são alvo de protesto no Castelo Branco

Moradores do bairro Castelo Branco - popularmente conhecido como Seiscentas Casas - protestaram na quinta-feira, dia 12, na Praça Abelardo Costa Lobo, contra as contas de água do Daea (Departamento de Água e Esgoto de Araçatuba). O vereador Joel de Melo Platibanda (PMN) esteve no local e ouviu as reclamações da comunidade no tocante aos valores descritos na conta.

A diarista Rosemeire Teixeira Valentim, moradora no bairro, era uma das mais inconformadas com a situação. Ela mora com outras três pessoas, todos adultos, e apenas a mãe, dona Maria Madelena, fica o dia inteiro em casa, enquanto os demais trabalham fora. Rosemeire criticou o serviço de leitura dos hidrômetros e pediu mais fiscalização.

"Em uma das contas, paguei R$ 125 pelo consumo de água; na fatura do mês seguinte, este valor foi reduzido à metade, ainda que o gasto tenha sido praticamente o mesmo. Numa residência próxima da minha, onde mora o mesmo número de pessoas, a conta não ultrapassa R$ 23. Não consigo entender os critérios do Daea para cobrar a população quanto ao consumo de água", protestou.

Ex-funcionário do Daea, o aposentado Armando Pereira da Silva mostrou diversas contas referentes ao consumo de água e, a exemplo de Rosemeire, criticou duramente o serviço de fiscalização da leitura dos hidrômetros. Silva informou que pagava cerca de R$ 25 pelo consumo de água e, após a troca do hidrômetro, segundo ele, sob determinação do Daea, as contas tiveram um aumento e assim o aposentado foi obrigado a pagar por uma delas cerca de R$ 260.

"Serviço de leitura tem de ser feito por gente competente. Espero que o prefeito coloque funcionários sérios no Daea para realizar a leitura", afirmou.

Autor de requerimento que questiona critérios sobre aferição do consumo de água e consequentemente o valor a ser pago por ela, Platibanda afirmou que pretende se reunir com os colegas vereadores para pedir rigor e até mesmo auditoria para o serviço de fiscalização de leitura do Daea.

"Nem que precisemos incluir a Polícia, Ministério Público, todas as providências cabíveis terão de ser tomadas para evitar abusos como estes nas contas da população", concluiu.

Fonte: Assessoria de Comunicação: João de Paula/ Foto: TV Câmara
Compartilhe: