Mesmo restabelecendo em seis o número de assessores parlamentares por vereador, a Câmara Municipal de Araçatuba vai fazer uma economia mensal de R$ 93 mil com o corte da verba de representação de gabinete, uma gratificação equivalente a dois terços sobre os salários dos servidores. O anúncio foi feito pela presidente da Casa, vereadora Edna Flor (PPS), em sessão extraordinária realizada na última segunda-feira, dia 05/01.           " />      Mesmo restabelecendo em seis o número de assessores parlamentares por vereador, a Câmara Municipal de Araçatuba vai fazer uma economia mensal de R$ 93 mil com o corte da verba de representação de gabinete, uma gratificação equivalente a dois terços sobre os salários dos servidores. O anúncio foi feito pela presidente da Casa, vereadora Edna Flor (PPS), em sessão extraordinária realizada na última segunda-feira, dia 05/01.           "/>
Araçatuba,
Texto Menor
Texto Maior
Contraste
Portal da
Transparência
Acesso à
Informação
e-SIC
Verdade ou Boato
Confira se uma notícia é verdadeira ou falsa
Notícias
06/01/2009
Câmara restabelece número de assessores parlamentares

            Mesmo restabelecendo em seis o número de assessores parlamentares por vereador, a Câmara Municipal de Araçatuba vai fazer uma economia mensal de R$ 93 mil com o corte da verba de representação de gabinete, uma gratificação equivalente a dois terços sobre os salários dos servidores. O anúncio foi feito pela presidente da Casa, vereadora Edna Flor (PPS), em sessão extraordinária realizada na última segunda-feira, dia 05/01.

            No final dos dois anos de mandato da presidente essa economia vai chegar a R$ 1,127 milhão. O projeto que restabelece os cargos foi o único item da pauta da sessão e foi aprovado com uma emenda, que evita que servidores que estão há quase cinco anos na Câmara percam o direito a licença prêmio e quinquênio.

             Os vereadores não concordaram com a atitude da legislatura passada, que no penúltimo dia de mandato diminuíram de seis para dois o número de assessores. O projeto que restabelece os cargos foi aprovado por unanimidade pelos 12 vereadores. Usaram a tribuna para defender a volta dos cargos os vereadores Dr Nava (PSC),Tieza (PSDB), professor Cláudio (PMN), Joaquim da Santa Casa (PDT), Arlindo Araújo (PPS), professora Durvalina (PT), Rivael Papinha (PSB) e Edval Antônio dos Santos (PP).         

            Todos eles fizeram questão de esclaracer que não estavam criando novos cargos, mas restabelecendo os que já existiam. "Quem tem que definir a necessidade de dois ou seis assessores somos nós, vereadores da atual legislatura, e não os da passada", argumentou Dr. Nava. Ele disse ainda que qualquer vereador poderá apresentar um novo projeto para a redução de cargos, se achar necessário.

             Vereador por cinco legislaturas consecutivas, Arlindo Araújo (PPS), defendeu o restabelecimento dos cargos dizendo que nunca se utilizou do número disponível e nem da verba de gabinete que cada vereador tem direito. "Usa quem quiser. Apenas não achei justo os ex-vereadores decidirem pelos atuais", disse.

              Edna Flor disse que uma das maiores preocupações de sua administração é com a aplicação de recursos. "Antes de propormos o restabelecimento dos cargos fomos verificar o que isso significaria em termos de gastos e concluímos que com a retirada da gratificação de dois terços faríamos uma economia considerável sem alterar o número de assessores", finalizou.             

 O  assessor parlamentar  é responsável pela elaboração de projetos, indicações, requerimentos, moções, ofícios, atendimento, entre outras atribuições, sendo ela necessária para que o vereador possa desempenhar bem as suas funções.

           

Fonte: Assessoria de Comunicação: Paula Todesco/ Foto: Ângelo Cardoso
Compartilhe: