Durou duas horas e dez minutos a primeira Audiência Pública da Saúde realizada na manhã desta quinta-feira (26/02) na Câmara Municipal de Araçatuba. Na primeira parte, o secretário municipal de saúde, Osmar Aparecido Cuoghi, prestou contas das receitas e despesas de todos os serviços da saúde no segundo semestre do ano passado. Depois, houve perguntas e debates sobre os problemas mais urgentes que precisam ser solucionados.

" /> Durou duas horas e dez minutos a primeira Audiência Pública da Saúde realizada na manhã desta quinta-feira (26/02) na Câmara Municipal de Araçatuba. Na primeira parte, o secretário municipal de saúde, Osmar Aparecido Cuoghi, prestou contas das receitas e despesas de todos os serviços da saúde no segundo semestre do ano passado. Depois, houve perguntas e debates sobre os problemas mais urgentes que precisam ser solucionados.

"/>

Araçatuba,
Texto Menor
Texto Maior
Contraste
Portal da
Transparência
Acesso à
Informação
e-SIC
Verdade ou Boato
Confira se uma notícia é verdadeira ou falsa
Notícias
26/02/2009
Audiência Pública da Saúde recebe sugestões para melhorar os serviços à população

Durou duas horas e dez minutos a primeira Audiência Pública da Saúde realizada na manhã desta quinta-feira (26/02) na Câmara Municipal de Araçatuba. Na primeira parte, o secretário municipal de saúde, Osmar Aparecido Cuoghi, prestou contas das receitas e despesas de todos os serviços da saúde no segundo semestre do ano passado. Depois, houve perguntas e debates sobre os problemas mais urgentes que precisam ser solucionados.

 A audiência pública começou às 9h e foi conduzida pela vereadora Edna Flor, presidente da Câmara. Participaram também os vereadores Durvalina Garcia, Cido Saraiva, Joaquim da Santa Casa, Dr. Nava, Rivael Papinha, Olair Bosco e Edval Antônio dos Santos. Os prefeito Cido Sério e o vice Carlos Hernandez chegaram ainda no início da audiência e participaram de parte dos debates.

O secretário da saúde informou que o Fundo Municipal de Saúde recebeu um total de R$ 20 milhões e 417 mil de verbas repassados pelos governo Federal e Estadual nos últimos seis meses e detalhou onde foram gastos esses recursos. Na gestão plena de Sistema Municipal de Média Complexidade, por exemplo, foram gastos R$ 11 milhões. O Programa de Saúde da Família, que fez 387 mil visitas, gastou R$ 2 milhões.

Os debates e perguntas dos vereadores e do público presente giraram em torno dos mandados de segurança impetrados na Justiça para entrega de remédios, renovação de contratos com o Ciap e serviços básicos de saúde.

O defensor público do Estado, Pedro Avelar, sugeriu uma reunião entre Prefeitura, Câmara e Defensoria para procurar alternativas sobre a questão dos mandados de segurança para entrega dos remédios. O prefeito Cido Sério mostrou-se disposto a realizar a reunião e o diretor clínico da Santa Casa, Sérgio Smolentzov, sugeriu ainda a participação de médicos da saúde para uma padronização de procedimentos. A presidente da Câmara, Edna Flor, também sugeriu a participação da Secretaria de Ação Social nesta reunião.

Fonte: Assessoria de Imprensa: Fernando Sávio - Fotos: Ângelo Cardoso
Compartilhe:
<< Página Anterior