Araçatuba,
Texto Menor
Texto Maior
Contraste
Portal da
Transparência
Acesso à
Informação
e-SIC
Sistema Eletrônico do Serviço de Informações ao Cidadão
Verdade ou Boato
Confira se uma notícia é verdadeira ou falsa
Notícias
30/06/2020
Programa Bom Prato é tema de requerimento aprovado

Os vereadores de Araçatuba aprovaram, na última segunda-feira (29/6), um requerimento de informações oficiais sobre o programa Bom Prato, que desde o início da pandemia de Covid-19 aumentou o fornecimento de refeições diárias às pessoas em situação de rua e em condições de vulnerabilidade social.

De autoria do vereador Arlindo Araújo (MDB), o pedido questiona se o município fez algum repasse para auxiliar na manutenção do restaurante. Também traz perguntas sobre a quantidade de refeições diárias servidas antes da pandemia e atualmente. O Bom Prato é custeado pelo governo estadual, mas pode ter a participação dos municípios que contam com o programa.

Arlindo Araújo também assina outros quatro requerimentos aprovados em bloco na 20ª sessão ordinária – no total oito pedidos foram aceitos sem discussão.

AJUDA PARA ACREPOM

Em outra solicitação aprovada, o vereador quer saber como o município pode ajudar a Acrepom (Associação de Catadores de Papel de Araçatuba) a retomar as atividades após incêndio ocorrido em 21 de junho.

De acordo com o requerimento, além da destruição parcial do imóvel, o incêndio atingiu equipamentos novos e alguns veículos, totalizando um prejuízo de cerca de R$ 300 mil. Desde que surgiu, em 1996, a Acrepom ajudou muitas famílias em situação de vulnerabilidade social.

Uma parceria da empresa Monte Azul com o município para higienizar prédios públicos no combate ao coronavírus foi alvo de requerimento também aceito pelo Plenário. Na solicitação, o parlamentar pede mais detalhes sobre como funciona essa parceria, perguntando se o município paga pelo serviço ou se trata de uma doação da empresa. Também há questões sobre os locais que já foram higienizados e com que periodicidade esse trabalho é feito.

Sobre a reforma do Centro Cultural Ferroviário, o vereador Arlindo Araújo quer saber o valor repassado ao município pelo Grupo Havan, o que foi feito com o recurso e os motivos para o centro ferroviário permanecer abandonado pelo poder público. Segundo o pedido, o prédio continua interditado e com mato alto e lixo em seu entorno.

RETOMADA DAS AULAS PRESENCIAIS

O anúncio feito pelo governo estadual de um plano de retomada das aulas presenciais nas redes de ensino em setembro foi tema de outro requerimento apresentado. Na solicitação, Arlindo pergunta se a rede municipal de ensino já traçou suas estratégias de retorno com as medidas obrigatórias de higiene.

Fonte: Assessoria de Comunicação: Carlos Demarchi/ Foto: Angelo Cardoso
Compartilhe:
<< Página Anterior